Entrar em Munique e na Marienplatz

6.12.16 Rui Quinta 2 Comments


No passado mês de Junho fui até Munique, a capital da Baviera e terceira maior cidade da Alemanha, com um centro histórico de riquíssima arquitetura, berço da BMW, cidade olímpica em 1972, a poucos quilómetros do primeiro campo de concentração em território alemão, a duas horas da belíssima Salzburgo de Mozart e, no começo do outono, palco na Oktoberfest, a maior festa da cerveja. Sem que falte cerveja, salsichas e pretzels todo o ano.

Fui a Munique aproveitado o feriado do 10 de junho (sexta-feira) e os horários da Transavia, que permitiram sair de Faro na manhã do feriado e regressar segunda-feira de madrugada.
A Transavia voa para o Flughafen München, o aeroporto de Munique, o segundo maior da Alemanha (apenas atrás de Frankfurt) e bastam 40 minutos de metro, cuja rede é excelente) para chegar ao centro da cidade. Já outras companhias, como a Ryanair, voam para o aeroporto de Memmingen, a mais de 100 km de distância e fora da rede de metro, representando uma grande desvantagem em relação à Transavia.
Munique foi severamente atacada durante a Segunda Guerra Mundial, mas durante a ocupação Estado-Unidense foi reconstruída seguindo um meticuloso plano que respeitou a sua identidade pré-guerra. Assim o centro da vida de Munique permanece na vibrante Marienplatz, a Praça de Maria, e na área envolvente. 
O seu edifício de maior destaque é o Neues Rathaus, os novos paços do concelho, um dos símbolos da cidade. Construída na segunda metade do século XIX, esta magnífica peça de arquitetura neo-gótica substituiu em 1874 os antigos paços do concelho, Altes Rathaus, também localizados na Marienplatz.

São 9159 m² ocupados pelo Neues Rathaus, e é para a Marienplatz que está voltada a sua fachada principal, repleta de detalhes, tanto na sua exterior como nos espaços abertos interiores, mas o maior atrativo está na torre do relógio e nas suas figuras dançantes, que diariamente, às 11h00, meio-dia e 17h00, protagonizam um espetáculo mecânico de 12 minutos.
Mas não convém ficar pela praça exterior, os seus restaurantes e as suas esplanadas (e as suas salsichas, e as suas canecas de cerveja). Vale bem a pena subir à sua torre de 85 metros (com elevador) para uma das melhores e mais ricas vistas sobre a capital da Baviera. 

Do cimo da torre é possível avistar... é possível avistar muita coisa. Mas destaca-se a Frauenkirche, Catedral de Nossa Senhora, outro dos símbolos da cidade, com as suas duas torres a roçar os 100 metros de altitude e o seu lugar especial nos céus de Munique salvaguardado, pois não é permitido a novas construções exceder tal altura próximo do centro da cidade desde há muitos anos. Também a Catedral foi danificada pelos bombardeamentos da Segunda Guerra, com o seu teto a ruir, mas reconstruída durante a gestão norte-americana.

Antes de descer, tempo para uma última volta pela torre, com atenção para os prédios coloridos que estão em sua frente, do outro lado da Marienplatz. Não parece que haja especial razão para que cada um esteja pintado com a sua própria cor, mas é um dos traços que se destaca na vista sobre a cidade desde a torre do Neues Rathaus.
Com isto, já era hora de comer algo e não faltam opções em redor da Marienplatz ou do Viktualienmarkt, um mercado de comida aberto de segunda a sábado, a poucos metros de distância que não pode deixar de ser visitado.
Altura de reabastecer e seguir caminho. Mas isso fica para contar outro dia.

Booking.com

Também pode gostar de:

2 comentários:

  1. uau Munich parece ser uma cidade tão bonita e as vistas do topo parecem mesmo valer a pena! já está há algum tempo na minha bucket list mas ver estas fotos faz com que queira ainda mais visitar a cidade!

    Ester - Drawing Dreaming

    ResponderEliminar
  2. Se tudo correr bem vou a Munique no próximo ano. Can't wait *.*

    Cátia ∫ Meraki

    ResponderEliminar