Salzburgo: uma peça de arte à beira dos Alpes

9.1.17 Rui Quinta 3 Comments


Às portas dos Alpes, colorida de verde, a cidade de Mozart é uma pequena preciosidade a não perder.
Salzburgo é uma pequena cidade. Com apenas 150 mil visitantes, é incomparável com as grandes cidades europeias de que tantos falamos e mesmo no seu país é apenas a quarta quando ordenadas por população (atrás de Viena, Graz e Linz). Mas essa escala, ser tão pequena, representa um dos seus encantos, tal como noutras encantadoras pequenas cidades que encontramos pelo mundo e que rapidamente nos fazem sentir por si abraçados.

Outro dos encantos de Salzburgo está na sua arquitetura barroca, as suas igrejas, catedrais e torres de cupulas verdes, ou simples tetos de prédios da mesma cor.

O aeroporto de Salzburgo não recebe voos diretos de Portugal, mas a cidade está a menos de 3h00 de comboio de distância da capital austríaca. Ainda assim, a grande cidade mais próxima está do outro lado da fronteira: Munique a menos de 2h00. Salzburgo foi inclusive parte da Baviera até ao século XIV quando conseguiu a independência, e a soberania do território viria a ser disputada no século XIX entre o Reino da Baviera e o Império Austro-Húngaro, hoje Áustria. Agora, graças às fronteiras abertas entre países membros da União Europeia, o acesso é igualmente fácil desde Viena ou Munique, com as magníficas vistas para os Alpes já na última parte da viagem.
As condições geográficas marcam a cidade, com os Alpes a sul, as colinas no seu interior e o rio Salzach que a divide, mas também lhe marca a vida do seu filho mais querido, Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791). Em Salzburgo podem ser visitadas a Mozart Geburtshaus e a Mozart Wohnhaus, respetivamente Casa de Nascimento de Mozart e Residência de Mozart, para onde foi viver em 1773, quando a anterior casa se tornou demasiado pequena. Hoje ambas servem como museus dedicados à vida e obra de um dos mais aclamados compositores de todos os tempos. A estátua que o homenageia está na praça com o seu nome, logo em frente da ponte com o seu nome, o mesmo nome que pode ser encontrado por toda a cidade sem grande dificuldade.

O maior encanto de Salzburgo está a sul do rio. A cidade é mais moderna a norte, mas é a sul que está o seu Centro HistóricoPatrimónio Mundial da Unesco desde 1997. Antes de atravessar qualquer uma das pontes, vindos desde a estação central de comboios, está o Schloss Mirabell e os seus jardins.

Palácio de príncipes-arcebispos, hoje propriedade da cidade, no dia da minha visita recebia um casamento no seu Salão de Mármore. Lá fora estão os seus jardins floridos com disposições geométricas, as esculturas e repuxos, com as torres da catedral e o forte de Hohensalzburg no olhar.

Do outro lado do rio encontro as ruas surpreendentemente calmas. Têm vida. Mas é um golpe de sorte encontrar a cidade, num sábado de junho, tão calma. A Mozartplatz está calma. A Residenzplatz está calma. Apenas a Kapitelplatz, do outro lado da catedral, tem mais movimento, com um aglomerado de pessoas que resiste à ameaça de chuva enquanto aguarda o início de um espetáculo musical. Afinal, é a cidade de Mozart.
Booking.com

Também pode gostar de:

3 comentários:

  1. Rui, mas que fotografias incríveis! E que vontade de ir já apanhar o próximo avião até Salzburgo! Vir aqui ao teu blog é um atentado à minha enorme (e crescente) vontade de conhecer o mundo...apetece-me largar tudo e ir visitar estes sítios bonitos que partilhas :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem! Criar essa vontade é um dos objetivos :)

      Eliminar
    2. Ainda bem! Criar essa vontade é um dos objetivos :)

      Eliminar