Road Trip Namíbia (VII): últimas paragens, Spitzkoppe

17.4.17 Rui Quinta 5 Comments


Já a caminho da capital, a última paragem nos planos estava nas impressionantes montanhas de granito de Spitzkoppe.
São blocos e mais blocos que formam incríveis e distintas montanhas, com a maior delas a sobressair 700 metros de altura relativamente ao deserto circundante. E Spitzkoppe tem uma enorme riqueza geológica e arqueológica - nas suas rochas podem ser vistas pinturas rupestres – mas não sou eu a melhor pessoa para vos explicar isso. E o que posso acrescentar eu, em palavras, a estas imagens?
Durante a minha semana na Namíbia vi muitas formações rochosas que me inquietaram. Como era possível? De repente, no meio do nada, blocos e blocos, uns sobre os outros, como nunca tinha visto, mas o caso mais notório é o de Spitzkoppe, a meio caminho entre Swakopmund e a capital Windhoek. E parece que é algo cuja explicação passa pelos milhões e milhões de anos deste planeta.

Para lá chegar é preciso um desvio, pequeno ou grande, conforme os parâmetros de comparação utilizados. Saído da B2 (a estrada que liga Swakopmund a Windhoek) é um desvio de 40 km, quase nada comparado com o que já tinha conduzido, mas que se fazem muito longos pela condição da estrada.
É um terreno inóspito. Mas pelo caminho lá estavam, uma e outra aldeia de casas de latão. Passei por uma criança, que de cabeça coberta não vi se era menino ou menina, e logo depois parei para lhe oferecer boleia. Ainda ao longe fez-me sinal que não queria, que estava tudo bem, talvez por medo de apanhar boleia de um estranho, e lá continuou debaixo de um sol que aquecia até aos 35ºC pelo menos.

Apesar de tão remoto, em Spitzkoppe, como em todos os outros locais interessantes da Namíbia, há alojamentos. E é num desvio à esquerda que sinaliza a “Reception” que devem virar. Se seguiram as indicações de GPS, serão enganados. Tal como eu e um casal de brasileiros com o qual me cruzei. “Também se perdeu com o GPS, né?”
O ponto mais emblemático é "O Arco".
A última paragem da viagem era a capital, Windhoek, mas como em muitos outros países africanos, a capital está longe de ser o local de maior interesse turístico. É o que acontece em países com uma natureza tão rica, como a Namíbia, e como tentei mostrar nos últimos artigos.

Porque no sábado já cheguei tarde e de noite não convém andar a pé nas ruas, apenas aproveitei o domingo de manhã, antes de ir para o aeroporto, e visitei o Independence Museum.

O museu da independência apenas foi inaugurado em 2014 e foi construído por uma empresa… norte-coreana. Tem uma forma muito invulgar, com uma das bases a servir de entrada (gratuita) e é através do elevador que se sobe para o primeiro piso, onde começa a exposição. É dedicado à história da resistência namibiana, primeiro ao colonialismo germânico e depois ao regime de Apartheid aquando da ocupação sul-africana.
Atrás do Independence Museum está o Museu Nacional da Namíbia e do outro lado a Christuskirche, também ela bastante sui generis... numa rotunda.

E assim terminou uma semana repleta de bons momentos e experiências inesquecíveis. A Namíbia confirmou-se um extraordinário país para visitar. Longe, não posso dizer para irem como se fosse logo ali, mas se alguém estiver a ponderar faze-lo e procurar aqui alguma informação, espero que estas publicações tenham ajudado a convencer. Porque definitivamente, a Namíbia é um país lindo!

A seguir… Roma!
Acompanhem em:
Booking.com

Também pode gostar de:

5 comentários:

  1. Oh Rui, que fotografias encantadoras, a sério! Perco-me no teu blog, sempre que posso, mesmo que, por vezes, não consiga deixar aqui uma palavrinha de incentivo... Tens um dos melhores blogs de viagem que acompanho e é um prazer seguir-te por aqui (ou pelo instagram).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, Sara! E logo tu que tens tão bom gosto eheh :)

      Eliminar
  2. Não precisas de muito para me convencer... A Namíbia já está na minha lista de países a visitar! Sem dúvida que é longe, mas deve valer bem a pena! As paisagens parecem deslumbrantes. Só tenho pena relativamente ao calor... Eu sou mais de climas frios, sabes? Prefiro o inverno ao verão e o outono à primavera. Mas pronto, lá terei de aguentar.

    Mundo Indefinido

    ResponderEliminar
  3. Olá Rui tudo bem? Estou indo para Namíbia no começo do ano e estou com uma grande dificuldade para encontrar informações sobre preços passa fazer a road trip. Poderia me passar seus gastos com aluguel de carro, gasolina, hospedagem? Desde já lhe agradeço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Natalia! Obrigado pelo seu interesse!
      No momento eu não tenho essa lista comigo, mas eu tratei da hospedagem e do aluguer do carro (um Toyota Cotolla) com a agência www.namibian.org. Lá pode encontrar os preços do aluguer e da hospedagem.
      A hospedagem depende de onde você quiser ir, mas se tiver interesse eu posso dizet todos os locais onde fiquei (de nenhum posso reclamar).
      A partir de 19 de setembro terei acesso à listagem com os meus gastos. Se tiver interesse, diga.

      Eliminar