Reunião: Cirque de Salazie, quedas de água ao redor

10.10.17 Rui Quinta 1 Comments


Quedas de água, ravinas e uma imensa vegetação. No Cirque de Salazie há sempre algo ao redor que nos enche os olhos!

Como o meu tempo era escasso, tinha deixado anotado que ao Cirque de Salazie, um dos três circos naturais de Reunião, apenas iria se me sobrasse tempo em relação ao planeado, o que não estava a acontecer (antes pelo contrário). Mas, por recomendação de algumas pessoas que conheci e insistência da minha anfitriã (fiquei alojado num apartamento da Airbnb) acabei por ir no último dia. E ainda bem!
Juntamente ao Cirque de Mafate (noroeste) e Cirque de Cilaos (Sul), o Cirque de Salazie, a nordeste, é um dos três circos naturais de Reunião, três depressões de origem vulcânica, e o de mais fácil acesso, pelas estradas nacionais que ligam Saint-André a Hell-Bourg, no seu centro.

Quando se muda de direção do litoral rumo ao interior da ilha, a paisagem torna-se algo de maravilhoso, numa ilha onde os padrões são muito elevados no que respeita a este quesito. A estrada percorre-se por entre abruptas montanhas cobertas de verde, com frequentes quedas de água que não precisamos de procurar. Elas estão lá, quase por toda a parte. Escorrem geralmente ao lado da estrada ou, nalgum caso, caindo sobre os vidros dos carros.

Hell-Bourg

Hell-Bourg é uma aldeia no centro de Salazie, pequena mas pitoresca, que muito terá a ganhar com o turismo nos próximos anos e, de resto, já começou a mostrar tímidos sinais. Ali há oferta de alojamento, restaurantes, cafetarias e a aldeia é agradável para estar nas suas esplanadas. Estive apenas uma manhã em Hell-Bourg, aproveitando para percorrer as suas poucas ruas e tomar um segundo pequeno-almoço, por entre a dificuldade ainda existente para comunicar em inglês. Mas desejei ter mais tempo. Meio dia pode ser suficiente para uma visita, mas recomendo-vos um dia completo e não se vão arrepender.


Como chegar: colocar “Hell-Bourg” no Google Maps levará a indicações erradas. O melhor será pesquisar por “Maison Folio”, uma casa-museu no centro da aldeia.

Voile de la Mariée

Em redor de Hell-Bourg existem vários percursos pedestres e sugiro escolher um para a manhã e outro para a tarde, com um bom almoço pelo meio. E, para quem estiver em trânsito pela ilha, uma noite hospedado em Hell-Bourg vai mesmo a calhar.

Sem tanta disponibilidade, o percurso que escolhi para essa manhã foi o da Voile de la Mariée (Véu de Maria), uma bonita queda de água que pode ser vista da estrada mas da qual nos podemos aproximar numa caminha de menos de uma hora e baixa dificuldade, recomendado para todas as idades.

Como chegar: No regresso de Hell-Bourg para Saint-André, a queda de água está do lado direito e um pouco depois de a avistarmos está uma paragem de autocarros, o melhor local para estacionar o carro e partir. Depois de atravessarmos a ponte, encontra-se a localidade de Bananiers.
Acompanhem em:
Facebook: www.facebook.com/ruideviagem
Booking.com

Também pode gostar de:

1 comentário: