Ohrid: um nascer-do-sol, um lugar espetacular e um companheiro inusitado

3.10.18 Rui Quinta 2 Comentários


O prazer de ter o local só para mim ao nascer de mais um dia!

Tinha deixado Skopje com pena. Queria ficar mais tempo, mas sabia que se me começasse a atrasar em relação ao que tinha planeado logo na primeira cidade, arriscava-me a não chegar ao fim. Felizmente, maior que o lamento de partir, é a alegria de chegar ao local seguinte e o que encontrei foi uma Ohrid animada desde o primeiro instante.

Ohrid (“Ocrida” em português) é o centro turístico da Macedónia e quando lá cheguei, apesar de já ser início de setembro, encontrei cheias as esplanadas dos vários restaurantes, não virados para o Atlântico como no meu Algarve, mas virados para o Lago Ohrid, o principal atrativo nesta pequena cidade Património Mundial da Unesco. É, aliás, o único local Património Mundial da UNESCO na República da Macedónia.

De Ohrid diz-se que outrora teve 365 igrejas, uma para cada dia do ano, algo hoje difícil de comprovar. Mas uma delas é o maior símbolo da cidade e foi o meu local escolhido para fotografar ao nascer do sol do segundo dia, a Igreja de São João de Kaneo.



Há várias formas de organizar um dia de viagem. Há quem se foque nos melhores restaurantes para almoçar e jantar e faça o roteiro em função disso. Há quem destine as noites para festa, as manhãs para ressaca e fique a deambular durante a tarde à espera de mais uma festa. Há quem procure museus ou arquitetura. Haverá certamente outras, todas elas justas e indicadas para o que cada um procura. Eu organizo-me primeiramente para fotografar o melhor de cada local nos melhores períodos: nascer do sol e pôr-do-sol (conforme cada local).

É difícil de explicar para quem não sente o mesmo em relação à fotografia e muitas vezes pensa que acordar antes do sol para ir para determinado local é um sacrifício. Para mim, não é. Imaginem começar cada dia no local mais bonito da cidade, com toda aquela beleza só para vós. Sem barulho para além do mar, sem azáfama. E sem turistas, e sem paus de selfie. Para mim o pior não é o acordar, mas a chegada do primeiro grupo de turistas, geralmente quatro dezenas ou quantos couberem num autocarro.

Era o que tinha planeado para Kaneo. Mas desta vez tive companhia. Enquanto me dirigia do centro de Ohrid para a Igreja, acordei um cão vagabundo, que não mais me deixou. Gosto de pensar que temos um bom conjunto de selfies.

O que visitar em Ohrid
A Igreja Ortodoxa de São João, em Kaneo (St. John at Kaneo, em inglês), é o principal símbolo de Ohrid mas outra igreja que aconselho a sua visita é a Igreja de São Pantaleão, numa colina próxima. O meu objetivo era estar lá ao pôr-do-sol, mas cheguei atrasado porque fui constantemente parando para apreciar (e fotografar) a vista. Essas vistas para o centro de Ohrid foram das melhores surpresas que tive ao longo da viagem.

Outros pontos de interesse em Ohrid são o Forte de Samuel, o Anfiteatro Romano e a menos de uma hora de viagem de autocarro está o bonito Mosteirode Sveti Naum, junto de qual está a “praia” onde pela primeira vez nadei num lago. Confesso que é estranho para mim chamar praia a um local sem areia, mas a visita é sem dúvida recomendada.

Booking.com

Também pode gostar de:

2 comentários: