Hvar: a beleza das ilhas

19.12.18 Rui Quinta 0 Comentários


Pelo menos uma das ilhas croatas tinha que visitar, certo? A escolha foi para Hvar.
São mais de mil as ilhas que a Croácia tem espalhadas pelo Mar Adriático e formam parte dos símbolos turísticos do país, com a sua diversidade, a maioria delas desabitadas, paradisíacas, outras enriquecidas pela história dos povos que lá passaram e deixaram marca, desde os antigos gregos, o Império Romano ou o Império Veneziano.

A minha escolhida foi Hvar, uma das maiores e das mais populares, juntamente com Korcula e Brac, por isso também uma das mais procuradas, mas ainda assim um dos locais mais prazerosos que encontrei na Croácia e sem dúvida o mais poupado de turistas no meu roteiro. Quando cheguei a Hvar senti, pela primeira vez, que a época alta tinha terminado.

Suficientemente próximo de Split, apenas a uma hora de barco, e com muitas ligações ao longo do dia, visitar Hvar é uma opção para quem está apertado de tempo sem querer deixar de visitar uma ilha pelo Adriático a dentro, mas se o tempo não for problema é um opção ainda melhor para assentar por vários dias a explorar algumas das suas praias.

Como cheguei cedo, tive um dia quase completo e ainda metade do seguinte para aproveitar, e com a quantidade de opções que nos dá, Hvar encaixou perfeitamente com o que gosto de fazer, saltando de sítio em sítio.

Ainda que a experiência possa ser melhor se alugar, por exemplo, uma scooter ou bicicleta para percorrer a ilha, é difícil imaginar que haja muitos sítios mais bonitos do que a praia de Pokonji Dol, a primeira que visitei, a dois quilómetros do centro da cidade de Hvar.

O caminho a pé faz-se por um trilho algo sinuoso, o que logo deixa antever que o local não estará repleto de turistas, e quando ao fundo começo a ver o cenário deslumbrante que me espera qualquer dúvida fica desfeita!

Informação: O bilhete de catamaran para a travessia Split-Hvar custou-me, em setembro de 2018, 90 kuna, cerca de €12 ao cambio da altura.
Nesse mesmo dia, até o sol se pôr, e na manhã seguinte, explorei as costa e outros locais de banhos para Oeste da cidade de Hvar, mas a beleza desta ilha não está toda dentro de água.

Até porque estavam muito mais desertas, deu para aproveitar com mais tranquilidade o encanto das ruas do Centro Histórico de Hvar, diante do qual estão dezenas de barcos à espera de uma oportunidade de negócio, um pequeno passeio, um almoço ou jantar a bordo, numa ilha que depende do turismo para a sua subsistência econômica.

O que visitar em Hvar

No Centro Histórico de Hvar os edifícios mais destacados são a Catedral de São Estevão (Katedrala Svetog Stjepana) e a Loggia, o único vestígio do antigo Palácio do Governador, do período Veneziano.

Caso tenham tempo para ficar na ilha, aconselho o aluguer de um meio de transporte, pois são mais de 80 km de distância entre os extremos da mesma. E assim poderão visitar Stari Grad, Patrimônio Mundial da UNESCO, Jesla, e outras pequenas localidades.

Na cidade de Hvar não tive a oportunidade de visitar o Forte (Fortica), mas é de imaginar uma excelente vista sobre a cidade e o mar.


Booking.com

Também pode gostar de:

0 comentários: