Verona: a cidade de Romeu e Julieta

23.4.19 Rui Quinta 0 Comentários


Uma das cidades mais bonitas que já visitei


Verona foi para mim uma grande surpresa. Não apenas considerando esta viagem, mas de todas as que já fiz. Há cidades das quais costumo dizer que basta olhar para qualquer lugar e é sempre bonito, como Amesterdão, Bruges ou Roma, e Verona entrou para essa categoria.

Parti para esta viagem pelo Norte de Itália porque os preços dos voos estavam muito baixos (ida e volta por cerca de €30) e pelo interesse generalizado que tenho pela país, mas nenhuma das cidades escolhidas para visitar eram grandes sonhos antigos como o são, por exemplo, Florença, Siena, a costa de Almafi e Cinque Terre. Por isso as expectativas não eram enormes e mesmo apesar da pesquisa prévia para planear os meus dias me ter despertado mais interesse em Verona do que em Milão, ainda assim a cidade que inspirou Romeu e Julieta conseguiu surpreendeu-me.

Surpreendeu-me pela sua simples beleza, que é algo do que procuro. Chamem-me maluquinho, mas desfruto de ficar num sítio bonito a ver o sol nascer ou o sol se pôr com a minha câmara. Apesar do frio. Isso e colecionar e partilhar histórias, com as pessoas com as quais me cruzo nestas aventuras.

Verona parece-me uma cidade pequena. Se não tanto na sua população ou na sua extensão, na sua construção, com os edifícios do seu centro histórico geralmente baixos e de poucos andares, uma sensação que se acentua depois de ter saído de Milão, essa sim uma grande metrópole, mesmo para os padrões europeus.

E a onda de cidade pequena é, desde o meu ponto de vista, parte da fórmula para o encanto de Verona, tantas vezes erradamente ignorada entre Milão e os canais de Veneza. A sua “estrutura urbana e arquitetura” é inclusive um dos critérios que lhe vale a distinção como Património da Humanidade pela UNESCO.

O que visitar em Verona

Os locais mais bonitos de Verona estão em redor da Ponte Pietra, com a Torre do Relógio da Catedral de Verona (Duomo di Verona) a elevar-se diante de nós e o Castel San Pietro nas nossas costas. Naturalmente, depende da vossa posição, mas foi desta forma, pela margem esquerda do Rio Ádige, que ali cheguei, à ponte romana que teve a sua construção iniciada (estima-se) no séc. I antes de cristo, que foi quase totalmente destruída durante a Segunda Guerra Mundial e posteriormente reconstruída.
 
Os terraços desde o Castel San Pietro oferecem a melhor vista para o pôr-do-sol sobre a cidade de Romeu e Julieta, história bem presente nos roteiros de Verona, com a Casa Giulietta a ser um dos destaques. Embora sem certezas de onde acaba a realidade e onde começa a ficção da tragédia escrita por William Shakespeare, ali terá vivido a família Capuleto e a sua filha Julieta, no palácio hoje transformado em museu.


À parte de tudo isto, o maior símbolo da cidade é a Arena de Verona, diante da Piazza Bra, com variadíssimos espaços para um aperitivo, mas a minha praça favorita é a Piazza dei Signori, com a estátua que homenageia Dante Alighieri.

Podem ainda aproveitar para visitar o Castelvecchio e o Teatro Romano.

Booking.com

Também pode gostar de:

0 comentários: