Roteiro: ver e fazer na Bélgica


No ano passado por esta altura estava já nos preparativos e planeamentos para a minha viagem de 10 dias à Bélgica e agora a rever as fotografias voltei a surpreender-me. Apesar de ter adorado desde o primeiro instante, há coisas que já não me lembrava de serem tão bonitas.

Uma parte da minha viagem pela Bélgica acabei por não ter tempo de partilhar aqui, pois 4 semanas depois entrei num périplo e as coisas foram-se acumulando. Mas agora, antes de partir outra vez de viagem e revendo estas fotos, altura indicada para inaugurar esta rúbrica de roteiros e fazer este Roteiro: ver e fazer na Bélgica, um país espetacular para uma viagem de comboio: as infraestruturas são muito boas, os horários abundantes e várias cidades que merecem a vossa atenção. Vou limitar-me à capital e a Flandres, porque foi onde estive, mas as opiniões parecem unânimes de serem estas as quatro cidades a não perder. Talvez alguém se inspire em ir ver com os seus próprios olhos.

A Grand-Place de Bruxelas

As duas entradas principais na Bélgica são o Aeroporto de Bruxelas-Zaventem e o Aeroporto de Charleroi (ou Bruxelas-Sul), por isso a cidade ideal para começar é a capital, aproveitando o que restar do dia de viagem.
A Grand-Place é o centro da cidade, com o Hôtel de Ville (paços do concelho), a Maison du Roi, restaurantes e muita animação. E a arquitetura! Não é única, vão encontrar semelhante nas cidades seguintes, mas reparem nos edifícios!

O Mercado de San Miguel, em Madrid


No centro de Madrid, é impossível passar pelo Mercado de San Miguel sem ficar de água na boca.

O Palácio Real de Madrid


Foi a minha quarta vez em Madrid, mas a primeira no Palácio Real. Já quase o tinha visitado em dezembro de 2015, estive na fila com pessoal que tinha conhecido no hostel, esperamos à conversa, quando percebemos que a fila em que tínhamos estado nos últimos longos minutos não era para o palácio mas para um presépio... pois. Dessa vez a fila para o Palácio estava longa, desta feita era inexistente. Eu e o meu irmão aproveitamos.

O forte, o castelo e a vista do Alto de Salzburgo


A arquitetura barroca é um dos símbolos de Salzburgo e o verde das torres no seu centro histórico podem ser vistas quase de toda a parte. Mas graças ao seu relevo, há miradouros que se destacam, como as varandas do KapuzinerklosterMosteiro dos Capuchinhos, e o Fortress HohensalzburgForte de Alto Salzburgo.

Salzburgo: uma peça de arte à beira dos Alpes


Às portas dos Alpes, colorida de verde, a cidade de Mozart é uma pequena preciosidade a não perder.