Zagreb: última paragem

12.2.19 Rui Quinta 0 Comentários


Tudo chega a um fim e a minha viagem pelos Balcãs terminou em Zagreb…
Bom, pelo menos esta minha viagem pelos Balcãs, do passado mês de setembro, terminou em Zagreb. Mas na altura que vos escrevo já planeio um regresso à região, ainda que por diferentes locais.

E após 21 dias de sol, desde Skopje, Macedónia até Zagreb, talvez por saber que era altura de despedida, foi com um dia nublado que fui brindado na véspera da despedida. Tinha chegado na noite anterior e aproveitado para dar um primeiro giro pela cidade, mas restava-me ainda um dia completo e a manhã seguinte antes de rumar ao aeroporto e iniciar o regresso ao Algarve.

Zagreb não é uma cidade que encha cartazes, até porque a concorrência interna é intensa, sobretudo com Dubrovnik, os Lagos Plitvice e toda a costa adriática, mas é uma cidade que não deve deixar de merecer atenção.
Porventura porque fosse fim-de-semana, certo é que encontrei o centro de Zagreb extremamente animado, com um mercado instalado na Praça Ban Jelacic, a praça central, música ao vivo e gente a encher todas as esplanadas da Radićeva ulica, uma rua que deve ser a primeira visita quando procurarem um restaurante para jantar ou um local agradável para ficar na conversa com amigos.

Grande parte do centro de Zagreb tem o acesso a carros restrito, sendo os elétricos azuis e as bicicletas a marcar o ritmo. E como o dia nublado me levou a ver a cidade com outros olhos, foi a isso que dediquei a minha atenção no que à fotografia diz respeito. A isso e ao mercado de Dolac, o principal mercado de produtores da capital croata e que, de qualquer forma, não poderia deixar de visitar, mas que assim ganhou ainda mais interesse.

É por isso que aqui vos apresento uma galeria fotográfica diferente do que é costumo mas que me deu muito prazer pelo desafio à minha criatividade que exigiu.


O que visitar em Zagreb
A Catedral de Zagreb é o principal símbolo da cidade e ainda o mais alto edifício de todo o país, com os seus 108 metros de altura. Mas não é a única construção religiosa que não podem deixar de visitar em Zagreb. Têm também a igreja de São Marco (Crkva svetoga Marka), na praça com o mesmo nome (Trg svetog Marka), onde se destaca o brasão de Zagreb em azulejo no telhado voltado a Sul.

Além destes, do já mencionado Mercado de Dolac e de toda a zona central, uma grande recomendação que vos deixo é o Museu das Relações Falhadas (como traduzo do inglês Museum of Broken Relatonships), algo que superou largamente as minhas expectativas. Um museu dedicado, como o nome indica, a relações interrompidas, mas muito mais do que relações amorosas. Prefiro não entrar em maiores pormenores para não vos impedir de ter a mesma agradável surpresa que tive. Acho que vão gostar.



E no centro de Zagreb terminou a minha viagem pelos Balcãs. Espero que tenham gostado de acompanhar, tanto quando eu gostei de a fazer e de vos contar.


Booking.com

Também pode gostar de:

0 comentários: